Quantas visitas!!

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

E a reunião me tirou um sorriso...

Sabe aquele dia que começa bem, com a filha acordando toda sorridente... Na hora do almoço aquele papo gostoso sobre o auau, o papai e blablablá.... Na hora de voltar ao trabalho ela dá tchauzinho sem chorar, no maior sorriso, brincando... De repente me pego com saudades dela e penso que faltam poucos minutos pra vê-la. Daí que são 18h em ponto e fico sabendo de uma "reunião extraordinária". Tudo bem,vai ser rapidinho e rapidinho se passaram 30 minutos e eu só penso em chegar o mais rápido possível pra pegá-la acordada e ver aquele sorriso lindo de quando nos vê chegar pra buscá-la. Infelizmente, quando cheguei, ela já estava capotada assim! Ainda bem que isso não é rotina!

Uma das roupas preferidas dela. Deve ter feito uma carinha meiga pra babá lhe vestir assim!

domingo, 11 de agosto de 2013

Dia dos pais e um breve retrospecto

   A gravidez é um momento mágico para algumas mulheres. Comigo não foi bem assim, já que não foi nada planejada, eu muito jovem, morando na casa dos pais, enfim... vamos pular essa parte.

Primeira noite em casa
   O bebê nasce e nem tudo são flores. Voltando ao parto, quem é que sente a maior dor do mundo pra dar a luz um filho? Certamente não é o pai. Alguns do deles (os pais) podem até ser bem presentes e prestativos nos primeiros meses de vida do bebê, mas quem abre mão de muita coisa é a mãe. Quer um exemplo? Nos primeiros momentos de vida, o bebê precisa se alimentar, de preferência de leite materno e onde é que ele está? Sim, ele está nos seios da mamãe, mas quem disse que ele já está prontinho? Demora no mínimo uns dois dias pra "descer", isso sendo bem otimista. Até lá, prepare-se para muito choro, noites em claro e, é claro, mamilos rachados, e isso dura mais algumas semanas.
   O sono? Você até tem, mas nunca mais será o mesmo. O banho? Pode esquecer aqueles de mais de 10 minutos. Hora do almoço? Acostume-se a comer comida fria, ou ter um bebê pendurado ao seu seio enquanto vc tenta comer com a outra mão ou comer quando não tem mais ninguém à mesa e alguém se dispõe a ficar com o pequeno.
   Ah, pode preparar o saco pra começar a ouvir aqueles conselhos e pitacos indesejados que, infelizmente, na maioria das vezes, vem da sua família: "o seu leite é fraco", "dá um mingau/chá/suco/água/fórmula/sopinha pra ver se dorme a noite inteira", e por aí vai. Na fase em que estou, o que mais ouço é "tira ela do peito", pois minha princesa está com 1 ano e 9 meses. Bem, eu até quero, muitas vezes não quero amamentá-la, não aguento mais, mas não é algo fácil!

   Que a minha vida se transformou completamente com a chegada da Anita, nem preciso dizer. Eu a amo infinitamente, mas não posso negar que não é nada fácil ser mãe e ser mãe dela! Muito geniosa, cheia de vontades e um amor sem fim pelos pais. Escolhe o que veste e o que calça. Não liga muito pra desenhos e filmes, mas quando gosta de uma música, não tem quem faça querer outra (Opa! Tem uma mini-Bárbara aqui?) Repete tudo o que fazemos e ama quando é incentivada como, por exemplo, batemos palmas quando ela leva sua louça pra pia ou sua fralda suja pro lixo. Se não o fazemos, ela mesma faz e nos cobra.

Com sete meses
   Bem, e o pai nessa história? Hoje é dia dos pais, porque estamos falando de mãe?

   Pois bem. O pai da Anita é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. Tem uma criatividade sem fim pra músicas, brincadeiras e dancinhas pra ela, que nos diverte muito. Desde sempre inventou apelidos carinhosos e, por incrível que pareça, ela se acostuma a todos. O mais recente é "São Lê", mas a história é longa. Chamo muito ela de "Pretinha/Neguinha", mas São Lê é o oficial. Hoje em dia apostamos quem é que vai limpá-la quando ela faz o nº 2, mas nos primeiros meses de vida dela, acho que ele foi o campeão nas trocas de fraldas de nº 2, mesmo quando ainda não morávamos juntos. Quando ela foi crescendo, começou a tomar banho no chuveiro. Mais uma vez ele saiu ganhando, pois até hoje, quem mais toma banho com ela ou dá banho nela é o pai!
Com 1 ano e 8 meses
   Ela o ama e ponto! Fala mais papai do que mamãe. Seu vocabulário não é muito extenso, mas quando tenta estabelecer um diálogo, a cada dez palavras, uma é mamãe, umas sete são papai, uma é auau e o resto é enrolação. Quando deixo de fazer qualquer coisa que me peça ou lhe dou uma bronca, vai correndo atrás do pai, fazendo beicinho. Ele, é claro, dá carinho, pega no colo, mas antes pergunta o que aconteceu: ela dá aquele migué: "papai, a mamãe, o o papai, o auau", eu digo o que realmente aconteceu e ele a repreende, lhe dando carinho ao mesmo tempo.
   Espero que essa amizade de pai e filha dure a vida inteira e que eu possa conter os ciúmes que rolam de vez em quando também. Quando soube que era uma menina, fiquei até um pouco desapontada, pensando: "Poxa, ela vai amar mais o pai do que eu, vai querer mais o colo dele, vai gostar mais dele, vai ser mais amiga dele...". Bem, espero que eu consiga ter pelo menos metade dessa amizade com ela também, que ela me admire tanto quanto ao pai e que se sinta tão à vontade comigo quanto se sente com ele. 

PAPAI, você merece esse dia todo especial!

FELIZ DIA DOS PAIS, PAIZÃO!!!

sábado, 10 de agosto de 2013

Agradecimento

   Hoje venho aqui pra compartilhar o quanto me sinto agradecida por mais uma vez Deus ter mostrado o quanto cuida de mim e de minha família!
   Veja o poder de Deus: sexta-feira, 09.08.13. Nomalmente eu iria trabalhar meio período, mas naquela sexta, teria que trabalhar o dia inteiro, pois os servidores (homens) que têm filhos ganharam um dia de folga em homenagem ao dia dos pais. Tudo bem, achei muito injusto, pois para o dia das mães nem mesmo um lanchinho teve, mas a vida é assim... 
   Meu esposo, percebendo minha insatisfação, decidiu, meio contra sua vontade, ir trabalhar, para que pudesse ocorrer o revezamento, como habitual, e facilitar minha vida, já que uma pilha de roupa pra lavar me aguardava na sexta à tarde, como de costume. Eis que, minutos depois de eu ter chegado em casa, tocando minha música favorita na tv, meu esposo me liga dizendo que estava acontecendo um assalto ao Banco do Brasil, que fica há uma quadra do nosso local de trabalho. Imediatamente levanto do sofá para colocar nossa filhinha adormecida na cama e, me tremendo mais do que nunca, tranco as portas, afinal, assim que desliguei o telefone, ouvi uma rajada de tiros, pois a rua que passa ao lado do banco é a mesma que leva ao trabalho, cerca de 5 quadras de distância da nossa casa.
   Lembra-se que eu teria que trabalhar o dia todo se meu esposo realmente tivesse ficado de folga?! Pois eu estaria passando ao lado do banco no exato momento em que começaram os disparos. Foi DEUS que me salvou de uma possível bala perdida ou no mínimo um pânico, pois susto foi o que passamos, sempre lembrando que o mesmo banco foi assaltado outras duas vezes no ano passado. Numa delas já estávamos morando aqui e dava de ouvir os tiros de onde estávamos, no trabalho. 
   É claro que pânico maior sofreu quem estava lá na hora, os funcionários que mal se recuperaram do assalto anterior, oito meses atrás... Mas sou grata a Deus por ter nos protegido, protegido minha família e feito com que tudo acontecesse de forma que nenhum mal nos atingisse. DEUS É MARAVILHOSO! Muito obrigada Senhor!