Quantas visitas!!

sábado, 27 de abril de 2013

Quedas e birras

Cada queda do seu filho te aperta o coração. Mesmo que ele nem chegue a cair, mesmo que seja só um susto.
Essa semana, achei  que Anita não sobreviveria - drama - por tantas vezes que caiu e se machucou.
No domingo, foi um tropeço, brincando com o vizinho, caiu e bateu a testa na calçada. Não sangrou, mas ficou um galo roxo depois. Na segunda, acordou cedo e foi pra área. Correu e eu disse "Cuidado, princesa! Vai se machucar.", mas antes tivesse ficado calada. Ela voltou correndo, tropeçou, caiu, bateu a boca, rasgou o lábio. Ficou bem feio. Fui dar banho nela e, na tentativa de acalmá-la, disse "vamos escovar o dentão?" Coloquei-a em cima do vaso, como sempre, e fui passar a pasta na escovinha. Ela dá um passo e cai entre a pia e o vaso, mas fica meio presa por ser maior que o espaço. Peguei na hora, ainda bem que não machucou nada.
Quinta-feira, a boquinha já quase sarando, ela vai entrar em casa e tropeça no degrau, cai e bate de novo a boca: mais sangue. Sexta, madrugada, recusei dar o peito e ela reclamou, mas ficou quietinha. Virou pra lá, virou pra cá, até que conseguiu se bater na parede, machucou a boca de novo. O pai pegou, mimou e a fez dormir. Passou um gelinho e, enfim, sarou.

E as birras?
Pense numa neguinha birrenta! Agora aprendeu a colher acerola do pé, mas ela aperta e a acerola "explode", daí ela não quer mais, joga no chão e vai atrás de outra. Eu, que não gosto de desperdício, brigo com ela a tiro debaixo do pé, mas ela faz birra, volta e começa tudo de novo.
Agora ninguém pode tocar em suas coisas. Hoje até falou "miná" (me dá). Ontem fui comprar algumas coisas na papelaria e não resisti: comprei outro caderno de desenho, dessa vez mais baratinho, e outra caixa de lápis de cor. A felicidade foi imensa quando ganhou seus presentes, mas na hora de pintar, quem disse que ela me deixava ajudar? Eu pegava uma lápis e começava a pintar pra mostrar pra ela como fazer, pois ela pegou um giz e ficou fazendo dele um amaçador de alho em cima do desenho. Ela tomava o lápis que eu tinha pego, eu pegava outro e ela me tomava também. Eu tentava pintar e ela não deixava, mó chata! A mesma coisa fez hoje pela manhã, quando levei a mesinha pra ela brincar com o vizinho, Como hoje é aniversário dele, tinha outras crianças pra brincar e tals, mas quem disse que ela quis dividir o lápis e o desenho?
E a vergonha que passei na igreja, já contei?
Estávamos Anita e eu na igreja num belo sábado de manhã. Resolvi levá-la pra escolinha dos bebês, o "Rol do berço". Umas quatro ou cinco crianças mais ou menos da mesma idade que ela. Como ela nunca tinha participado, fiquei lá observando, conhecendo Anita como conheço, imaginei que ela poderia arrumar encrenca e eu passaria mais vergonha ainda, imagina a professora indo me entregar a Anita dentro da Igreja: "Olha mãe, sua filha é muito encrenqueira, pegaí!". Ok, fiquei lá olhando. As crianças estavam pintando, Até então, não sabia que Anita tinha essa atitude de querer as coisas só pra ela. Deram um desenho pra ela e um giz de cera. Ela ficou olhando as outras crianças e logo começou a pintar. Depois tomou o desenho da menininha ao lado; conseguimos tirar e devolver; daí ela foi atrás da caixinha de giz, pegou todos e levou pro seu lugar. "Então tá, hora da música, vamos ouvir uma canção e aprender a lição", pensa que a Anita foi? Todas as crianças imitando a coreografia e a Anita nem aí, com sua caixa de giz, sentada num banquinho. Ai que vergonha. Não interagiu com ninguém. Ainda fez pirraça quando pediram a caixa de giz pra guardar. Mamãe querendo se enterrar!
O pior de tudo é que ela convive com crianças. A pessoa que cuida dela tem uma filha de cinco anos e cuida de outra menina, também de cinco, que AMAM a Anita. Porém, tudo que Anita faz não é corrigido, pois quem cuida dela não á a mãe, não pode brigar, pois futuramente, quando Anita for maior e souber falar, vai dizer que a babá brigou com ela e eu ou pai vamos que nem leão em cima da mulher, sendo que quem tá errada na história é a Anita, entendem o que eu quero dizer? Isso é ruim, sabe, não estarmos por perto pra dizer o que é certo ou errado. De repente a gente se vê numa situação como a da Igreja ou como a dos lápis de cor e não sabemos o que fazer.
Por fim, a teimosia. Anita não pode ver um sereno/chuvisco que quer pegar. Mal sarou de uma gripe, já está com o peitinho cheio de novo.Isso porque de repente ela pegou umas gotinhas de chuva e já era. Como aqui não tem pediatra e os médicos são pouquíssimo confiáveis, vamos ao farmacêutico da cidade e ele sempre receita antibiótico (keflex). Sempre funciona, mas eu não acho uma boa dar sempre antibiótico quando ela fica gripada. Também há divergências quanto a dar mel, mas quando eu era criança minha mãe me dava e eu tô contando a história pra vocês. Ninguém receita um xarope pra tosse? O único que ela tomou eu não consigo me lembrar do nome e como a receita ficou retida quando fui comprar, só quando for consultar mesmo. Não vejo a hora.
Outra coisa que faz parte do gênio teimoso da menina: sua mesinha tem um porta lápis em dois cantos e um porta copos. Ela inventou de tirar o porta lápis do lugar e prendeu o dedinho. Eu vi que não machucou, só doeu mesmo, mas fiz aquele mimo, dei beijinho e tal. Pois ela insiste em fazer sempre! Tira o porta-lápis, machuca o dedo e chora, parece que faz de propósito, ou tem perca de memória recente, só pode!

Mas como pode crescer tão rápido. Hoje pela manhã fiquei observando... ela estava com um pijama que até pouco tempo (tá, já faz um ano) ficava grande e eu até evitava de usar e que agora está ficando curto. A blusa está na medida e a calça fica subindo a barra, como quem diz que está na hora de doar. O chinelinho que ela ama e quando chegou ela não queria tirar do pé, mas tava enorme, hoje cabe direitinho. E os vestidos que eram da prima? Que eu imaginava que poderia usar com uns oito meses e com tal idade ficava parecendo um balão... hoje estão quase perdidos. Meu pai, como ela cresceu! Mas continua uma RN quando começa a mamar. Esses dias até voltou a fazer aquele barulho, estalando a língua de tanto leite que tá tomando, sabe?¹ Quem amamenta/amamentou ou  quem viu a Anita RN sabe bem. Passava vergonha quando ela fazia. Hoje acho graça, lembrando de quando ela era tão pequenininha... Daqui pouco menos de três meses completamos UM ANO aqui, logo, um ano de serviço público, logo logo, DOIS ANOS de Anita, logo logo as férias, meu aniversário, natal, ano novo e 2014 já está bem aí!
Menos né, Bárbara!

Até a próxima!

domingo, 21 de abril de 2013

1 ano e 5 meses

Tão atrasado que já está com quase 6!
Poxa, quanto tempo!! Dei uma parada, pois começamos a estudar pra um novo concurso, então, todo tempo vago é tempo pra estudar. Mas eu também dei uma parada nos estudos, muito cansativo, mas já vou voltar.

Pois é, Anita já está com 1 ano e 5 meses, quase 6. Os dentes de trás estão vindo, mesmo antes dos caninos. Tomou vacina (dessa vez foi com a babá), a próxima será só com 4 anos, VIVA! - fora as campanhas.

Ela descobriu uma palavra mágica que derrete o meu coração. Ela já falava muito antes, mas agora com maior intensidade: a cada dez segundos solta um "mamãe! mãe! mamãe!". Também chama pai, mas é mais raro e tenta falar água, mas só consegue pronunciar o "á".

Ainda mama no peito. Come de tudo. Ainda não aprendeu a andar de motoca. É muito risonha e sapeca. E muito nervosinha também. Ama tomar banho de chuveirão, me "ajuda" a lavar a roupa, passar e limpar a casa. Já é uma moça!

Vejam só!

Vamos andar de bike?

Cadê o sorriso dessa neném? 
Deixa que eu troco a marcha pra vc, mãe!

Vamos fazer o culto da família? Minha vez de ler!

Acho que já serve no meu pé!

Vamos assistir a Galinha? (22h35min)

Quando completamos um ano juntos

Minha princesa!

Gatinha linda!

Te amo!

Abre logo, mãe!

Olha só os presentes que eu ganhei da minha tia e da vovó! 
Esse foi o que mais gostei!

Quando crescer, vou ser como a mamãe!

Hora do lanche!

Por enquanto ficamos por aqui. Até a próxima.