Quantas visitas!!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Um Presente

"A primavera caminha
Silenciosa e rápida
Com os pés inesperados
De Bárbara."
(Carlos Moreira)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Enxergando o ar que respiramos

Av. Imigrantes, próximo das 18hs, Porto Velho, agosto/2010
   Agosto deve ser o pior mês para se viver, creio que não só aqui em Rondônia, mas no planeta Terra. Mês sem chuvas na região, porém, chuva de mais no Afeganistão. Também se tem por aqui  um dos maiores índices de queimadas do país. Com a baixa umidade do ar, muita gente está com dificuldades para respirar e, também, para enxergar, pois a fumaça que adentra pela noite e madrugada e nos acorda todas as manhãs torna-se cada dia mais intensa.
   Sempre que passo pela Estrada de Ferro, localizada às margens do Madeira, fico na expectativa de vislumbrar o rio. Porém, nos últimos dias o que vejo é só uma bruma espessa, uma cortina de fumaça tomando o rio inteiro. Me parece cenas de "previsões para 2050", onde rios terão secado, geleiras terão descongelado. Nesse caso (do rio Madeira), simplesmente ao invés do rio, vemos só uma "parede" cinza.
   Ao sair da escola, às 18hs, geralmente contemplava um belo pôr-do-sol. Aquele Sol bem laranja, na verdade rosa-pink, bem florescente. Ontem, vi o pôr-do-sol mais sem graça de toda minha vida, o Sol mais apagado que se poderia ver, tomado pela nuvem de fumaça. É realmente muito incômodo a falta de visibilidade na cidade.
   Há casos em que queimadas são geradas "espontaneamente", pela baixa umidade do ar, folhas e clima secos, que fazem tudo pegar fogo num piscar de olhos, como anualmente ocorre na Califórnia, EUA. Em Rondônia, duvido muito que seja esse o caso. A impressão que tenho é que a região de minha casa é a mais atingida pela fumaça, pois onde fica a escola que frequento, não me parece tão horrível assim, apesar do pôr-do-sol apagadinho.
   Em Moscou, os russos estão vivendo o verão mais rigoroso dos últimos 80 anos. A amplitude térmica já variou de 65ºC este ano. Em janeiro foram registrados 26ºC negativos, em contrapartida, já houve registros de 39ºC no mês de agosto. Além disso, ainda há, também na Rússia, uma camada espessa de fumaça tóxica vinda de incêndios florestais, tendo ligação com os efeitos do Aquecimento Global.
   O fato é que, ainda estamos na metade do mês. Ouvi boatos de que a situação tende a piorar. Ontem mesmo vi pessoas andando com máscaras pelo centro da cidade, lembrando de uma cena comum nos telejornais do ano passado, onde pessoas no mundo inteiro estavam desesperadas com uma nova gripe, letal e de fácil contágio.
   Espero realmente que esse mês desgraçado passe logo, levando consigo suas queimadas, nuvens de fumaça, calor, baixa umidade do ar, escassez de chuvas e tudo o que um clima/tempo/ambiente pode ter de ruim. É muito mais cômodo respirar um ar invisível (não fumacento)e vislumbrar um pôs-do-sol lindo e brilhante às margens do rio Madeira.  :)